16.9 C
São Paulo
25 de junho de 2022, 1:41
Publicidade
InícioNotícias“Já tentei meditar e não consegui”. Especialista Paulo Gratão explica o porquê...

“Já tentei meditar e não consegui”. Especialista Paulo Gratão explica o porquê desse fenômeno

Paula Gratão é especializada em meditação, inclusive com um programa especial para crianças. Ela explica: “Perdi a conta de quantas vezes ouvi essa frase todas as vezes que comentei com alguém sobre o trabalho que realizo como instrutora de meditação. Mas o mais interessante é que, após fazer algumas perguntas de caráter investigativo, eu sempre informo à pessoa: sim, o que você fez, foi um processo de meditação! Sim, você conseguiu meditar e a maioria se espanta. Simultaneamente fica mais confiante e esclarecida sobre o que é realmente meditar”, diz Gratão.

O primeiro mito que se faz necessário esclarecer é o “meditar é esvaziar a mente”. Paula afirma que não é possível esvaziar a mente, pois a função da mente é justamente pensar, é produzir pensamentos. É preciso saber que a mente tem uma característica intrinsicamente dispersa e meditar é um exercício de observação concentrada, de treinar o foco da atenção; de voluntariamente parar e se concentrar em algum objeto. O que seria esse objeto do ponto de vista da meditação? Na grande maioria das vezes é a própria respiração, mas pode ser também as sensações do corpo, no ambiente em que está, em alguma palavra ou frase, em uma música ou até em um mantra.

Há centenas de práticas possíveis e a função de um instrutor de meditação é exatamente esclarecer, orientar, direcionar e, principalmente, explicar todo o caminho que será percorrido, que possíveis sensações poderão aparecer nas práticas, aplicar as práticas que julgar mais adequadas, mas, principalmente, continuar motivando e incentivando a continuidade da prática.

Importante frisar que não há nenhum contexto religioso na prática meditativa embora seja uma prática utilizada em várias religiões. “Eu costumo brincar que um instrutor de meditação é o equivalente ao famoso app Waze: vamos indicando e guiando os caminhos, fornecendo alertas e recalculando a rota sempre que necessário”, ilustra Paula Gratão. “A única diferença é que não estamos tentando chegar em destino nenhum ao meditar. Ao meditar, o que buscamos é estar consciente para apreciar verdadeiramente o caminho.”

Paula Gratão Especialista em Meditação
Whatsapp: 11 99470-5773
Instagram: @criancasquemeditam @meditacao_para_todos

ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais populares

- Publicidade -